SÓIS DANÇANTES

Dois sóis se alinham em sua fronte.
Raios incandescentes formam um grande baile de luz e de sombra.
Tentáculos trançantes rompem a fronteira do amor e da desesperança.
Enquanto a noite repousa, Taiwo expande os seus caminhos.
Suas mãos empunham a escrita de uma vida.
Seus pés cravam no agora as imagens do amanhã.
Tudo aqui pede passagem.
Qual futuro é possível num presente despedaçado?

EQUIPE

Juh Almeida

Direção

Luma Nascimento

Taiwo

C-AFROBRASIL

Trilha Sonora

Lucas Raion e Natália Farias

Finalização

Emerson Dindo

Texto

Obrigada!